Torção testicular pode matar? Conheça 5 consequências | Dr. Eduardo Costa

torção testicular pode matar

A torção testicular é uma urgência urológica que deve ser prontamente identificada e tratada.

A demora na sua identificação pode levar a consequências graves e prejudiciais aos homens.

O objetivo deste artigo é explicar se a torção testicular pode matar, assim como os seus sintomas, diagnóstico, tratamento e consequências.

O que é a torção testicular?

É a torção do testículo e do seu cordão espermático.

Esta estrutura contém diversos vasos sanguíneos que irrigam e nutrem o testículo.

Quando ocorre a torção, há uma isquemia, ou seja, uma diminuição do fluxo de sangue e de oxigênio nesta região.

Isso pode levar a necrose e a perda da função testicular, caso essa torção não seja revertida a tempo.

torção testicular pode matar
A torção testicular pode matar? Não, mas ela pode causar diversas consequências nocivas ao homem.

Sintomas

Os principais sintomas da torção testicular são:

  • Dor no testículo de forte intensidade;
  • Inchaço na bolsa escrotal;
  • Vermelhidão local;
  • Testículo mais alto e lateralizado.

Estes sintomas costumam surgir de forma súbita e normalmente levam os pacientes diretamente ao pronto socorro.

Causas

Não há uma causa bem estabelecida na literatura médica sobre a causa da torção dos testículos.

Acredita-se que seja uma malformação congênita em que há ausência de estruturas que mantém os testículos na sua posição habitual.

Ela pode acometer homens de todas as idades, mas é mais prevalente dos 12 aos 18 anos.

Diagnóstico

A torção do testículo é diagnosticada pelo médico do pronto socorro com a anamnese, exame físico e ultrassonografia doppler.

Através deste exame, é possível identificar a ausência ou diminuição do fluxo sanguíneo testicular, achado típico de uma torção.

Ao ser identificada, é essencial o tratamento imediato.

Tratamento

O único tratamento possível é através da cirurgia.

Infelizmente, não há remédios ou medicamentos disponíveis para o tratamento desta condição.

Cirurgia

Este é um procedimento feito em centro cirúrgico sob raquianestesia e sedação ou anestesia geral.

A cirurgia de torção testicular consiste em explorar, distorcer e aquecer o testículo, além de avaliar a sua viabilidade.

Caso o testículo esteja viável, é realizada a sua fixação, assim como a fixação do outro testículo, para evitar possíveis torções futuras.

Se mesmo após o aquecimento e outras manobras de avaliação de viabilidade o testículo estiver necrótico, é realizada a sua remoção e envio para biópsia.

Torção testicular pode matar?

Não. A torção testicular não leva ao óbito. 

No entanto, ela pode causar diversas consequências a curto e longo prazo, que devem ser acompanhadas pelo médico urologista.

Consequências

Perda testicular

A torção do testículo promove uma isquemia testicular, ou seja, há um comprometimento do fornecimento de sangue, oxigênio e nutrientes para essa região.

Com o passar do tempo, pode ocorrer um dano irreversível e a necrose testicular.

Isso acontece com maior frequência após 08 horas do início da torção, mas é variável de paciente para paciente.

Nestes casos, a remoção cirúrgica do testículo é necessária, pois a sua permanência favorece o desenvolvimento de infecções e a malignização do testículo necrosado.

De acordo com uma revisão sistemática publicada no Journal of Pediatric Urology, a chance de perda testicular após um episódio de torção é de aproximadamente 39% precocemente e de 49% a longo prazo.

Dentre os fatores que influenciam a perda testicular, destacam-se:

  • Duração dos sintomas;
  • Grau da torção;
  • Realização de ultrassom antes do diagnóstico;
  • Tipo de hospital (atenção primária ou secundária).

Infertilidade

Após a torção do testículo, a produção dos espermatozoides pode sofrer um prejuízo.

Acredita-se que isso ocorra devido a formação de anticorpos que prejudicam a espermatogênese, além da própria remoção cirúrgica do testículo (quando necessária).

Ou seja, a diminuição da quantidade e da qualidade dos espermatozoides, pode levar a infertilidade ou dificuldade dos casais para engravidar.

Dor crônica

Uma série de procedimentos nos testículos, como a vasectomia, a hidrocele e a cirurgia de torção do testículo, pode causar a orquialgia crônica.

Este é um tipo de desconforto na região escrotal, que cursa com:

  • Maior sensibilidade;
  • Dor testicular;
  • Dificuldade para ter relações;
  • Incômodo ou sensação de peso intermitente.

Este desconforto é extremamente incômodo e diminui significativamente a qualidade de vida dos homens.

Hipogonadismo

Apesar de ser uma complicação mais rara, é possível o desenvolvimento de hipogonadismo após a remoção de um testículo por torção.

O hipogonadismo hipergonadotrófico corresponde a baixa produção de testosterona, devido a falha e/ou dificuldade do testículo produzir a testosterona necessária.

Isso ocorre normalmente quando o paciente já possui alterações no testículo, como:

  • Testículo único congênito;
  • Atrofia testicular (congênita ou adquirida);
  • Remoção testicular prévia por tumores ou traumas.

Ou seja, essa consequência pode ocorrer quando o paciente fica sem um testículo normal e funcionante.

Estética

Outra consequência é a piora estética, devido a ausência de um testículo, após a remoção cirúrgica por torção.

Muitos homens desenvolvem uma baixa auto estima e vergonha pela ausência do testículo na bolsa escrotal.

Isso pode afetar o seu relacionamento, confiança e segurança em relação ao próprio corpo.

Nestes casos, é recomendada uma nova cirurgia para a inserção de uma prótese testicular.

É um procedimento simples e rápido, e esse dispositivo apresenta consistência e aspecto semelhante a um testículo habitual.

Conclusão

Neste artigo explicamos se a torção testicular pode matar, assim como os seus sintomas, diagnóstico, tratamento e consequências.

Esta é uma urgência urológica que não deve ser negligenciada, sendo fundamental a sua identificação e tratamento precoce.

Espero que tenham gostado do artigo!

Abraço.

Perguntas frequentes

Torção testicular deixa estéril?

Não necessariamente.

Nos casos em que a torção leva a retirada de um testículo, o outro testículo costuma compensar a produção de espermatozoides.

No entanto, pode ocorrer sim uma queda na quantidade e na qualidade destes espermatozoides, mas isso não deixa o homem obrigatoriamente estéril.

A realização do espermograma e o acompanhamento com o urologista é fundamental após a torção testicular.

Como saber se o testículo está torcido?

O médico consegue identificar a torção do testículo através da história clínica, exame físico e ultrassonografia doppler, que irá evidenciar uma diminuição ou ausência de fluxo sanguíneo no testículo acometido.

Referências

  1. Jacobsen, Frederik M et al. “The Impact of Testicular Torsion on Testicular Function.” The world journal of men’s health vol. 38,3 (2020): 298-307. doi:10.5534/wjmh.190037
  2. MacDonald, C et al. “A systematic review and meta-analysis revealing realistic outcomes following paediatric torsion of testes.” Journal of pediatric urology vol. 14,6 (2018): 503-509. doi:10.1016/j.jpurol.2018.09.017

Artigo escrito por:

Dr. Eduardo Costa

Dr. Eduardo Costa

Médico Urologista. CRM: 175220-SP | RQE: 103714 Especialista em Cirurgia Minimamente Invasiva (Cirurgia Robótica, Videolaparoscopia e Laser)

Utilizamos cookies para tornar melhor a sua experiência em nosso site. Assim, podemos personalizar conteúdos e oferecer uma navegação mais segura. Ao continuar, você aceita o uso de cookies. Acesse nossa Política de Privacidade para saber mais