Vasectomia Particular em São Paulo (SP) – Dr. Eduardo Costa

familia caucasiana feliz com filho loiro no colo após uma vasectomia particular

A vasectomia é um procedimento que os homens realizam para não ter mais filhos, sendo uma das cirurgias mais realizadas pelo sexo masculino ao redor do mundo.

É considerado um procedimento simples, rápido, seguro e que fornece conforto definitivo para diversos casais.

O objetivo deste artigo é explicar sobre o que é esta cirurgia, indicações, recuperação, preparo, cuidados pós operatórios e destacar as vantagens em se realizar uma vasectomia particular em São Paulo.

O que é a vasectomia?

É a cirurgia de esterilização masculina.

É um método contraceptivo definitivo em que se interrompe o fluxo natural dos espermatozoides ao longo do ducto deferente.

Desta forma, eles continuam sendo produzidos normalmente nos testículos, mas não são eliminados na ejaculação, evitando assim a gestação.

foto demonstrando o trajeto dos espermatozoides antes e depois de uma vasectomia particular
Trajeto dos espermatozoides representado pela seta verde. Após a vasectomia eles são produzidos normalmente mas não são ejaculados.

Pode falhar?

Sim. Assim como a laqueadura para as mulheres, ela não apresenta eficácia de 100%.

A taxa de falha é de aproximadamente 0,1% – 0,3%.

Desta forma, é essencial coletar o espermograma após 20 ejaculações ou 2 meses da cirurgia.

Este exame é essencial para garantir que não haja mais espermatozoides presentes no ejaculado.

Quem pode fazer?

Segundo a lei Lei nº 9.263/1.996 sobre planejamento familiar, é permitida a cirurgia para homens com:

  • 21 anos ou pelo menos dois filhos vivos;
  • Capacidade cognitiva preservada;
  • Prazo mínimo de 60 dias entre o desejo de realizar o procedimento e a execução;
  • Registro em cartório de termo de consentimento assinado manifestando o desejo em se realizar a esterilização definitiva.

Como é feita?

Este procedimento é realizado em centro cirúrgico com sedação e anestesia local, com duração de 15 a 30 minutos.

Após a realização da anestesia, antissepsia e colocação dos campos cirúrgicos é iniciado o processo.

São realizadas duas discretas incisões na bolsa escrotal (uma ao lado de cada testículo), onde serão identificados os ductos deferentes (onde passam os espermatozoides).

Um segmento deste ducto será cortado e suas extremidades serão ligadas com pontos, cauterizadas e invertidas, a fim de evitar uma recanalização.

Após isto, é realizada a hemostasia para se garantir que não haja nenhum sangramento ativo, seguido de um ponto absorvível na pele e curativo local.

A seguir, o paciente acorda da sedação e é encaminhado ao quarto para se alimentar e caminhar no pós operatório.

Por fim, ele recebe alta hospitalar com a receita de alguns medicamentos para tomar em casa e as orientações pós-operatórias.

Cicatriz

A cicatriz é super discreta e se localiza na bolsa escrotal (uma de cada lado), com tamanho que pode variar de 0,5 a 1,0 cm, a depender de cada cirurgião.

Riscos

  • Infecção da ferida operatória
  • Sangramento intraoperatório
  • Inchaço do testículo
  • Hematoma

Outras complicações mais raras são: dor testicular crônica, falha da vasectomia (recanalização), formação de granuloma, hidrocele e espermatocele.

Vale lembrar que a vasectomia é uma cirurgia de pequeno porte, assim como a cirurgia de varicocele, com baixíssimas taxas de complicações.

Preparo pré operatório

O preparo consiste em medidas pré, intra e pós operatórias que irão auxiliar o paciente a se recuperar precocemente. São elas:

  • Coletar os exames pré operatórios (exame de sangue, radiografia de tórax e eletrocardiograma) e complementares (caso haja indicação pelo anestesista ou cardiologista);
  • Evitar depilação na região do escroto antes da cirurgia (a tricotomia é realizada no próprio hospital antes do início do procedimento);
  • Levar o termo de consentimento assinado e documentos pessoais;
  • Ir ao hospital com acompanhante
  • Comprar suspensório escrotal para usar após a cirurgia

Recuperação

A recuperação costuma ser tranquila.

O testículo pode inchar um pouco, ficar levemente dolorido e arroxeado por alguns dias.

O desconforto local é resolvido com o uso de analgésicos que são prescritos após a cirurgia, na alta do paciente.

Além disso, alguns cuidados são orientados para o paciente se recuperar mais precocemente.

Cuidados pós operatórios

  • Utilizar os medicamentos prescritos por seu médico;
  • Usar suspensório escrotal (retirar apenas durante o banho);
  • Não realizar atividades físicas intensas;
  • Lavar e secar bem a região dos pontos;
  • Realizar compressa de gelo 3x/dia;
  • Abstinência sexual por 7 dias ou até a liberação médica;
  • Utilizar método anticoncepcional até a realização do espermograma de controle;
  • Realizar o espermograma após 20 ejaculações ou 2 meses da cirurgia e levar para análise do médico urologista no retorno.

Vasectomia particular

Vantagens

  • Procedimento é realizado em centro cirúrgico com toda a equipe médica (cirurgião, auxiliar, instrumentador e anestesista);
  • Monitorização adequada da pressão arterial, frequência cardíaca e outros parâmetros hemodinâmicos durante todo o procedimento;
  • Menor chance de infecção;
  • Menor dor (sedação + anestesia local);
  • Menor risco de complicações intraoperatórias;
  • Retaguarda hospitalar, caso ocorra alguma complicação não esperada.

Desvantagens

A principal desvantagem é o preço, que pode não ser acessível a todos.

Além disso, por zelar pela segurança e conforto do paciente, é necessária a internação hospitalar e observação por algumas horas após a cirurgia.

Qual o preço da Vasectomia Particular?

O valor da vasectomia particular varia de acordo com cada equipe médica e do hospital em que o procedimento é realizado.

Os convênios médicos costumam reembolsar os honorários médicos parcial ou totalmente.

Caso tenha interesse em saber mais informações, entre em contato clicando no símbolo de whatsapp ao lado.

Onde fazer?

Realizo procedimentos cirúrgicos nos principais hospitais de São Paulo (SP) sob anestesia local e sedação, juntamente com minha equipe, a fim de proporcionar o melhor conforto e recuperação para o paciente.

Estamos à disposição para receber você em meu consultório.

Ele fica localizado no Jardim Paulista em São Paulo, próximo aos bairros: Jardins, Bela Vista, Pinheiros, Higienópolis e Consolação.

Para contato, clique aqui.

Conclusão

Reunimos neste artigo as principais informações para quem pretende fazer uma vasectomia particular em São Paulo: indicações da cirurgia, riscos, cuidados pós-operatórios, tempo de recuperação, além das vantagens e desvantagens.

Incluímos também as principais dúvidas em relação a reversibilidade, alteração da potência sexual, entre outras.

Espero que vocês tenham gostado! Um abraço.

Perguntas Frequentes

A vasectomia diminui a potência ou apetite sexual?

Não. Este é um mito que assusta muitos homens.
Este procedimento somente interrompe o fluxo dos espermatozoides ao longo do ducto deferente, impedindo que ele seja expelido na ejaculação.
Desta forma, só ocorre uma interrupção do fluxo dos espermatozoides e isso não irá causar disfunção erétil ou alterar o apetite sexual.
Muitos homens, inclusive, referem uma melhora na qualidade de vida sexual após a vasectomia, segundo alguns estudos científicos.
Isso porque eles passam a se sentir mais seguros e confiantes em relação a alta eficácia do método contraceptivo.

A vasectomia é reversível?

Sim. No entanto, este é um tópico que merece destaque.
A cirurgia de reversão não é 100% eficaz, além de sua eficácia diminuir quanto maior for o tempo desde a cirurgia.
Neste caso, é importante que o homem tenha ciência que, mesmo após a tentativa da reversão, este procedimento pode não ser suficiente para ocorrer uma gestação espontânea.
Quando isso ocorre, é recomendada a avaliação com um especialista em andrologia, para avaliar técnicas de reprodução assistida (fertilização).

Referências

1) Biblioteca Virtual de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/vasectomia/
2) Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/tests-procedures/vasectomy/about/pac-20384580
3) Pubmed. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7489671/

Artigo criado em 18/01/2023 e atualizado no dia 25/03/23 por Dr. Eduardo Costa

Artigo escrito por:

Dr. Eduardo Costa

Dr. Eduardo Costa

Médico Urologista. CRM: 175220-SP | RQE: 103714 Especialista em Cirurgia Minimamente Invasiva (Cirurgia Robótica, Videolaparoscopia e Laser)

Utilizamos cookies para tornar melhor a sua experiência em nosso site. Assim, podemos personalizar conteúdos e oferecer uma navegação mais segura. Ao continuar, você aceita o uso de cookies. Acesse nossa Política de Privacidade para saber mais