5 dicas para você melhorar a ereção fraca | Dr. Eduardo Costa

5 dicas para melhorar a ereção fraca

A ereção fraca é um tipo de disfunção erétil que acomete muitos homens, das mais variadas idades. 

Ela abala profundamente a saúde mental e sexual dos homens, podendo gerar até conflitos entre os casais.

Essa doença é multifatorial, ou seja, possui múltiplas causas, tanto orgânicas quanto psicológicas, que devem ser investigadas e tratadas adequadamente.

Uma série de medidas simples podem ser empregadas para o tratamento dessa patologia.

O objetivo deste artigo é explicar 5 dicas para você melhorar a ereção fraca.

O que é a ereção fraca?

Ela é um tipo de disfunção erétil.

É definida como uma dificuldade e/ou impossibilidade de se iniciar ou manter uma ereção para uma relação satisfatória.

A ereção fraca é relatada por muitos pacientes como uma ereção parcial ou incompleta, que muitas vezes é insuficiente para uma penetração adequada.

Em alguns casos, a ereção ocorre de forma satisfatória, porém não se mantém até o fim do ato.

Existem diversos tipos de tratamentos para a disfunção erétil.

No entanto, este artigo focará nas principais dicas para melhorar as ereções fracas.

5 dicas para você melhorar a ereção fraca

Praticar atividade física aeróbica

Esta é a minha primeira dica e uma das mais importantes.

O exercício físico aeróbico, ou seja, realizar caminhadas, corridas, natação, praticar esportes como futebol, vôlei, artes marciais é uma das melhores atividades cardiovasculares para a saúde em geral.

E isso também se aplica para as ereções fracas, pois essa atividade auxilia no controle de diversas alterações metabólicas, como a pressão alta, o diabetes e o colesterol alto.

Além disso, ela libera uma série de endorfinas que reduzem os níveis de stress e ansiedade, que também podem prejudicar a ereção.

Ou seja, uma simples caminhada de 30 a 60 minutos diária pode melhorar a sua ereção de forma simples, rápida, fácil e significativa.

No entanto, a prática de exercícios físicos isolada, pode não ser suficiente, se não alterarmos o estilo de vida como um todo.

Otimizar dieta

Esta segunda dica está bem vinculada a primeira.

Uma dieta balanceada e individualizada é essencial para um estilo de vida mais saudável.

Ela também é responsável pelo controle das alterações metabólicas que são prejudicais a ereção.

Dentre as principais alterações, destacamos:

Pressão alta

A hipertensão arterial é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares e acomete aproximadamente 35% da população.

Uma dieta pobre em sódio, industrializados e temperos prontos auxilia no controle da hipertensão arterial, que é uma das responsáveis pela disfunção erétil.

Diabetes

O diabetes é uma doença extremamente comum, que acomete em torno de 16,8 milhões de brasileiros.

Uma dieta individualizada, específica para o diabético (com níveis reduzidos de açúcar) é fundamental para o controle do diabetes ou pré diabetes.

Colesterol alto

Diminuir a ingesta de alimentos ricos em gordura, como frituras, alimentos processados e industrializados ajuda no controle do colesterol alto e triglicérides.

Ou seja, uma dieta específica para cada indivíduo pode auxiliar na melhora da ereção pelo controle de diversas alterações metabólicas.

Homem acordando feliz com melhora das ereções fracas
Uma boa noite de sono é essencial para o tratamento das ereções fracas.

Higiene do sono

Uma noite mal dormida pode atrapalhar uma semana inteira.

Quem nunca ouviu essa frase? Pois é, e isto é válido também para a ereção.

Quando dormimos mal, tanto o nosso corpo, quanto a nossa mente não relaxam adequadamente.

E isso resulta em maiores níveis de tensão, stress, ansiedade e indisposição, que podem levar a uma ereção mais fraca.

A higiene básica do sono é fundamental para evitar essa situação.

Ela é composta por várias pequenas alterações que auxiliam o indivíduo a dormir melhor, como:

– Defina uma rotina de horário para dormir todos os dias

– Não ingerir alimentos pesados, cafeína, refrigerante, bebidas alcoólicas 03 horas antes de dormir

– Não praticar atividade física intensa 03 horas antes do horário definido

– Evitar qualquer tipo de estímulo visual ou auditivo ao dormir (luz acesa, ficar mexendo no celular deitado na cama, dormir de TV ligada, ouvir música, etc)

– Deite somente na hora de dormir, não fique deitado na cama antes do horário definido

Estas pequenas alterações podem te ajudar a dormir melhor e, consequentemente, ajudar a melhorar a ereção.

Evitar bebidas alcoólicas, cigarro e drogas

A bebida alcoólica atrapalha a ereção de várias maneiras. E isso é válido também para o tabagismo e o uso de drogas.

Cessar o uso destas substâncias pode auxiliar no tratamento da ereção fraca.

Álcool

O álcool é um depressor do sistema nervoso central. Ou seja, ele pode prejudicar a transmissão de sinais essenciais para uma excitação e ereção adequada.

Isso pode prejudicar a qualidade da ereção.

Tabagismo

O tabagismo é prejudicial para a saúde cardiovascular e neurológica.

O sistema cardiovascular nada mais é do que a circulação do sangue pelos vasos sanguíneos, bombeado pelo coração.

Esse sangue é rico em oxigênio, nutrientes e substâncias essenciais para o bom funcionamento das células.

O tabagismo prejudica a circulação e oxigenação do corpo como um todo, incluindo a peniana.

Vale lembrar, que para uma ereção adequada é necessário um aporte sanguíneo adequado nos corpos cavernosos do pênis, que ficarão túrgidos, promovendo a ereção.

Quando há um prejuízo na circulação, seja por doenças cardiovasculares ou pelo próprio tabagismo, há um prejuízo do fluxo sanguíneo local e da ereção.

Ele também é nocivo às terminações neurológicas do pênis, danificando o seu funcionamento a longo prazo e prejudicando a transmissão de sinais essenciais para uma ereção adequada.

Drogas

O uso de drogas também é extremamente prejudicial à ereção.

A depender do tipo de droga, ela pode prejudicar a ereção de múltiplas formas.

Seja pela depressão do sistema nervoso central (semelhante ao álcool) ou até pela liberação excessiva de neurotransmissores derivados da noradenalina.

Estas drogas estimulantes irão preparar o corpo para uma reação de luta ou fuga, priorizando a circulação para os órgãos nobres (coração, cérebro e rins) e prejudicando a circulação para outras partes do corpo, incluindo a do pênis.

Avaliação metabólica e hormonal

Conforme mencionado no texto, diversas alterações metabólicas podem prejudicar a ereção, como a pressão alta, altos níveis de colesterol e o diabetes.

Segundo uma revisão sistemática, publicada na renomada revista científica Urology, homens com diabetes, alterações cardíacas, sedentários, tabagistas e etilistas apresentavam maior prevalência de disfunção erétil.

Desta forma, a investigação, o tratamento e o acompanhamento destas comorbidades são essenciais.

No entanto, alterações hormonais também podem ser responsáveis por uma ereção mais fraca.

Dentre as alterações hormonais, destacamos os baixos níveis de testosterona e seus derivados, assim como as alterações da tireoide.

Estes níveis hormonais devem ser verificados e tratados de acordo com cada alteração.

Estou tendo ereções fracas: O que fazer?

Se você está sofrendo com uma ereção mais fraca, procure sempre um médico urologista.

Ele é o profissional que irá realizar uma investigação completa das causas dessas ereções fracas e irá empregar o tratamento correto.

Para entrar em contato, clique aqui ou no símbolo de whatsapp ao lado.

Esta é uma doença extremamente comum que possui diversos tipos de tratamentos.

Conclusão

Neste artigo, discutimos sobre as principais dicas para melhorar uma ereção fraca.

São dicas simples, rápidas e fáceis que podem ser empregadas no dia a dia de diversos indivíduos e otimizar a sua ereção.

É válido lembrar que o médico urologista deve ser sempre consultado para uma avaliação completa e minuciosa.

Espero que vocês tenham gostado do artigo!

Um abraço.

Perguntas frequentes

O que é bom para o homem ficar mais potente?

Para melhorar a potência sexual, o homem deve idealmente realizar modificações no seu estilo de vida, como:

– Praticar atividade física aeróbica (caminhada, corrida, esportes);

– Reduzir o consumo de gordura e alimentos industrializados;

– Melhorar a qualidade e quantidade de sono diário;

– Realizar o controle de alterações metabólicas (pressão alta, diabetes, colesterol alto) ;

– Investigar alterações hormonais (baixos níveis de testosterona);

– Procurar um médico urologista.

O que faz o homem perder a potência?

As principais causas de perda da potência masculina são:

– Idade acima dos 40 anos;

– Baixos níveis de testosterona;

– Ansiedade e depressão;

– Altos níveis de stress;

– Diabetes e pressão alta não controlados;

– Altos níveis de colesterol e triglicérides;

– Após retirada de próstata e de bexiga.

Referências

  1. Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_sexual_reprodutiva_homens_cuidado.pdf
  2. National institute of kidney diseases. https://www.niddk.nih.gov/health-information/urologic-diseases/erectile-dysfunction/symptoms-causes
  3. Nicolosi, Alfredo et al. “Epidemiology of erectile dysfunction in four countries: cross-national study of the prevalence and correlates of erectile dysfunction.” Urology vol. 61,1 (2003): 201-6. doi:10.1016/s0090-4295(02)02102-7

Artigo escrito por:

Dr. Eduardo Costa

Dr. Eduardo Costa

Médico Urologista. CRM: 175220-SP | RQE: 103714 Especialista em Cirurgia Minimamente Invasiva (Cirurgia Robótica, Videolaparoscopia e Laser)

Utilizamos cookies para tornar melhor a sua experiência em nosso site. Assim, podemos personalizar conteúdos e oferecer uma navegação mais segura. Ao continuar, você aceita o uso de cookies. Acesse nossa Política de Privacidade para saber mais