10 Sintomas de Pedra no Rim que devem fazer você procurar um Urologista com urgência.

sintomas de pedra no rim

As pedras nos rins (ou cálculos renais) são uma doença extremamente prevalente na população de ambos os sexos e que causa grande desconforto.

Ela é acompanhada de uma série de sintomas que, muitas vezes, podem ser ignorados pelos pacientes.

Isso pode desencadear múltiplas complicações, desde um leve desconforto ao urinar até a infecção de múltiplos órgãos.

Desta forma, o objetivo deste artigo é explicar sobre os 10 sintomas de pedra no rim que devem levar o paciente a procurar o médico urologista com urgência.

O que são as pedras nos rins?

São formações sólidas compostas por diversos sais minerais presentes na urina. Eles se agrupam, cristalizam e desenvolvem os temidos cálculos renais.

Quando localizadas no interior dos rins são chamadas de nefrolitíase.

Costumam permanecer no interior do rim por longos períodos, sem causar nenhum sintoma.

No entanto, quando estes cálculos saem do rim e migram para o ureter, podem gerar obstrução e são chamadas de ureterolitíase.

Estes resultam em um aumento da pressão no interior do rim e consequentemente, uma série de sintomas.

Segundo um importante estudo científico, cerca de 50% dos pacientes que desenvolveram cálculos renais, apresentarão um novo episódio ao longo de 10 anos.

Desta forma, a identificação destes sintomas é essencial para o tratamento, manejo e prevenção, a fim de evitar futuros episódios de cólicas renais.

sintomas de pedra no rim
Os sintomas de pedra no rim ocorrem quando o cálculo obstrui o ureter.

Quais são os sintomas de pedra no rim?

Os principais sintomas são dores nas costas, vômitos, sangramento na urina e desconforto ao urinar. Mas eles seriam os únicos?

Separamos abaixo uma lista com os 10 principais sintomas de pedras nos rins que devem fazer você procurar um urologista com urgência.

1) Dor nas costas

Esta apresenta um início súbito, de forte intensidade, incapacitante, que surge de um lado das costas e, pode ou não, estar acompanhada dos outros sintomas descritos abaixo.

Muitos pacientes apresentam episódios de desmaio e até diarreia, devido a intensidade desta dor.

É válido lembrar que outras condições do trato urinário também podem causar dor lombar e devem ser investigadas.

2) Sangue na Urina

O ureter é o órgão que comunica os rins até bexiga, sendo o responsável por levar a urina para ser armazenada na bexiga até que ocorra a micção.

Quando o cálculo migra para o ureter, ele pode lesar e ocasionar erosões na mucosa do órgão, causando o sangramento na urina (hematúria).

Este associada à dor lombar são os mais comuns sintomas de pedra no rim.

Este sangramento pode se apresentar como vermelho vivo ou apenas de uma forma mais leve, com a urina mais escurecida.

Além disso, o sangramento também pode ocorrer quando o cálculo provoca uma obstrução na saída do rim. Essa obstrução promove um distúrbio na filtração das hemácias pelos rins, manifestando-se como sangue na urina.

Sempre que observamos uma hematúria, devemos investigar e excluir outros diagnósticos como câncer de bexiga, infecções urinárias e alterações do trato urinário.

3) Vômitos

As náuseas e os vômitos são muito comuns e podem ocorrer principalmente por dois motivos: pela inervação em comum entre os rins e o trato gastrointestinal e pelo reflexo da dor.

Quando ocorrem de forma intensa, os vômitos podem resultar na desidratação, insuficiência renal e desequilíbrio dos eletrólitos (sódio, potássio e outros).

4) Dor ao Urinar

Pode variar de baixa a alta intensidade.

Ocorre tanto pela inflamação causada pela migração do cálculo, quanto por uma infecção urinária associada.

5) Febre

A presença de febre ou calafrios é um sinal de alerta importante para se procurar um médico com urgência.

A migração do cálculo do interior do rim para o ureter, provoca uma obstrução parcial deste trajeto, desencadeando o acúmulo de urina no local, que não consegue ser devidamente drenada pelo rim.

Este acúmulo pode levar a proliferação de bactérias e, consequentemente, uma infecção urinária, que se manifesta através da febre, calafrios e desconforto ao urinar.

Caso esta infecção não seja tratada precocemente, ela pode evoluir para um abscesso (acúmulo de pús) e uma infecção renal grave.

6) Dor na virilha

É resultado da migração do cálculo renal.

Quando ele está localizado nas porções mais próximas do rim (ureter proximal), a dor costuma estar mais localizada nas costas, se irradiando para o abdome.

Já nos casos em que o cálculo migra para as porções mais inferiores do ureter, pode cursar com dores na virilha, testículos (nos homens) ou grandes e pequenos lábios (nas mulheres).

7) Retenção urinária

Muitos pacientes evoluem com retenção urinária, que nada mais é do que a vontade enorme de urinar, sem conseguir fazer a urina sair.

Isto pode ocorrer quando o cálculo migra e fica preso na uretra (canal final por onde a urina passa), impossibilitando a sua saída.

Este também é um caso de urgência, pois há um aumento abrupto e intenso da pressão no interior da bexiga, acumulando urina.

Sendo assim, as retenções urinárias devem ser resolvidas imediatamente para alívio da dor e saída da urina normalmente.

8) Urina com mal cheiro

Este achado pode ser resultado de uma infecção urinária associada ao cálculo renal, ou até mesmo pela maior concentração da urina.

A concentração da urina é consequência da menor ingesta de água na presença de cólica renal, pois está associada a náuseas, vômitos e dores intensas.

9) Aumento da frequência urinária

Muitas mulheres confundem este sintoma com a infecção urinária.

No entanto, a inflamação que o cálculo causa quando migra do rim para os ureteres e bexiga, pode desencadear uma inflamação.

Esta inflamação resulta no aumento da frequência urinária, com o paciente indo ao banheiro múltiplas vezes ao dia, com pouca saída de urina.

10) Dores abdominais

Em alguns casos, os pacientes não apresentam a típica dor nas costas que se irradia para o abdome, mas sim um desconforto abdominal de forte intensidade e de início súbito.

Ela deve ser diferenciada de outras condições como, por exemplo, a apendicite.

Tratamento

O tratamento dos cálculos renais depende de uma série de fatores, sendo os principais:

– Tamanho do cálculo

– Localização

– Densidade

– Sinais de infecção associada

– Sintomas de pedra no rim

– Características individuais de cada paciente

Este tratamento pode variar desde o uso de medicamentos para auxiliar a eliminação das pedras até alguns tipos de cirurgia.

Atualmente, existem diversas modalidades cirúrgicas: cirurgia de pedra no rim a laser (sem cortes), percutânea (com pequeno corte), cirurgias abertas, laparoscópicas e robóticas.

No futuro, farei mais artigos sobre os diferentes tipos de cirurgias para os cálculos renais.

Onde tratar pedra nos rins em São Paulo (SP)?

Realizo a investigação e tratamento desta condição no meu consultório.

Caso haja indicação de cirurgia (ureterolitotripsia), realizo os procedimentos cirúrgicos nos principais hospitais de São Paulo (SP).

O consultório fica localizado no Jardim Paulista em São Paulo, próximo aos bairros: Jardins, Bela Vista, Pinheiros, Higienópolis e Consolação.

Para contato, clique aqui ou no símbolo de whatsapp ao lado.

Conclusão

Neste artigo, conversamos sobre os principais sintomas de pedra no rim.

Vale ressaltar que a presença dos sintomas relatados acima, deve levar o paciente a procurar um médico urologista com urgência.

Isto é fundamental para iniciar o tratamento adequado precocemente e evitar complicações.

Um abraço!

Perguntas Frequentes

Quais os sintomas da crise renal?

A crise ou dor renal nada mais é que o conjunto dos sintomas de pedra no rim mencionados acima, que se iniciam subitamente.
Ela se manifesta normalmente com uma dor de forte intensidade nas costas, que pode migrar para o abdome e virilha, seguido de náuseas, vômitos e sangue na urina.

A pedra no rim afeta o intestino?

Não. Não há relação entre a presença do cálculo no rim ou sua migração e sintomas intestinais.
O que ocorre, na verdade, é que os pacientes em vigência de cólicas renais podem apresentar episódios de diarreia reflexa, em virtude da forte intensidade da dor.

Referências

  1. Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/kidney-stones/symptoms-causes/syc-20355755
  2. Secretária de Estado da Saúde. https://www.saude.sp.gov.br/ses/noticias/2014/junho/pedra-no-rim-pode-levar-ate-a-perda-do-orgao
  3. Ljunghall, S, and B G Danielson. “A prospective study of renal stone recurrences.” British journal of urology vol. 56,2 (1984): 122-4. doi:10.1111/j.1464-410x.1984.tb05346.x

Artigo escrito por:

Dr. Eduardo Costa

Dr. Eduardo Costa

Médico Urologista. CRM: 175220-SP | RQE: 103714 Especialista em Cirurgia Minimamente Invasiva (Cirurgia Robótica, Videolaparoscopia e Laser)

Utilizamos cookies para tornar melhor a sua experiência em nosso site. Assim, podemos personalizar conteúdos e oferecer uma navegação mais segura. Ao continuar, você aceita o uso de cookies. Acesse nossa Política de Privacidade para saber mais